Sotavento Santa Cruz

O Concelho de Santa Cruz localiza-se na ilha de Santiago, no grupo de Sotavento, em Cabo Verde e tem 26.609 habitantes, segundo dados do INE de 2010.
Órgãos Eleitos
Contactos
O Município
Situação Socioeconómica
Actividades Económicas
Turismo
Ambiente
Cultura
Género
Órgãos Eleitos

Órgãos eleitos

 

Constituição da Câmara Municipal do círculo eleitoral de Santa Cruz

 

Carlos Alberto Gonçalves Silva
Jamira da Conceição Mendes Duarte
Nilton Emanuel Lopes Tavares Paiva Semedo
Tomásia Semedo Afonso
Samir Benjamim dos Reis
Artemisa Maria Mendes Moreno
Carlos Vieira Garcia

 

Constituição da Assembleia Municipal do círculo eleitoral de Santa Cruz

 

Gilson António Moreno Cardoso - PAICV
Ângela Vanusa Semedo Lopes Ribeiro - PAICV
Orlando Perreira Dias - MPD
Daniel Augusto Mendes Cabral - PAICV
Luísa Tavares Correia - PAICV
Izileida Marlene Tavares Correia Almada - MPD
Adilson de Jesus Lopes Correia - PAICV
Adelina Mendes Tavares - PAICV
Paulino Correia de Oliveira Delgado - MPD
Alberto Lopes Sanches - PAICV
Teresa Conceição Oliveira Vasconcelos Silva - PAICV
Ivanilda Iliano Tavares da Costa Vaz - MPD
José Querido Silva Gonçalves - PAICV
Maria Amélia Cardoso Mendes - PAICV
Erasmo Carlos Semedo - MPD
Suzete de Jesus Cabral Alves - PAICV
Amilson de Jesus da Veiga Furtado - PAICV

Contactos
Contactos

 

Endereço: Achada Fátima

 

Telefone: (+238) 269 15 10

 

Fax:           (+238) 269 13 13

O Município

Contexto histórico do Município

A então Vila de Pedra Badejo, sede do Concelho, agora Cidade, situada na Ilha de Santiago, mais concretamente no Concelho de Santa Cruz, nasceu como o resultado de um processo progressivo de fixação de pessoas de forma espontânea, atraídas pelo mar e vales férteis para a agricultura. Assim, começou a construção das primeiras casas que depois acabaram por ganhar corpo de Vila, fruto de atividades como a pesca, o pequeno comércio, a agricultura e as dinâmicas desenvolvidas até ao momento. 

A sua urbanização começou em 1984 com a chegada dos técnicos Austríacos que deram inicio a reabilitação, da zona de triângulo (Largo da Igreja Católica de Pedra Badejo) e Cutelinho, que veria dar origem ao primeiro plano cadastral do interior de Santiago, e muito acarinhado saneamento participativo experiência trazida da reabilitação das favelas Brasileiras mudando as condições de habitabilidade e sócio económico dos moradores.

A partir da década de 90 surgiram as primeiras preocupações no sentido de planificar o crescimento e desenvolvimento urbanos.

 

Criação

O Município de santa Cruz foi criado pelo Decreto-Lei n.º 108/71, de 29 de Março, Santa Cruz onde começou a ganhar a sua autonomia, ascendendo o povoado de Pedra Badejo a categoria de Vila, com vista a promover o desenvolvimento de atividades que o crescimento populacional impunha e possibilitar às populações contactos rápidos com a sede do concelho (Sedeada na Vila de Pedra Badejo) onde os seus problemas podem ser resolvidos.

Em 2010 foi elevada à categoria de Cidade à luz do Artigo 9º da Lei Nº 77/VII/2010, de 23 de agosto e publicado no BO nº 32, Iª Série).

 

Localização geográfica;

O Concelho de Santa Cruz fica situado na parte leste da Ilha de Santiago. Tem uma superfície de 109,8 Km2, correspondendo a 11,75% da área total da ilha. É confrontado, a Norte, com o Município de S. Miguel, Oeste com os Municípios de Santa Catarina e Picos, Sudoeste, com o Município de S. Lourenço e a Sul, com o Município de S. Domingos. Encerra a sua fronteira pela orla marítima na zona este.

O Concelho de Santa Cruz está subdividido em três zonas administrativas: Zona Norte, Centro e Sul. Em cada Zona Administrativa existe uma sede – Delegação Municipal instalada – para aproximar os serviços da Câmara Municipal às comunidades locais, permitindo assim que estas se sintam melhor servidas.

 

População

De acordo com o Censo 2010 o Concelho de Sta Cruz possui cerca de 26.617 habitantes, correspondente a 9.7 % da população da Ilha de Santiago (com 274.044 hab) e 5.4 % do todo nacional, que atualmente conta com cerca de 491. 875 habitantes. Desses 26.617, 12.863 são do sexo masculino, correspondente a 48,3%, e 13.754 são do sexo feminino, correspondente a 51,7 %. De acordo com o meio de residência cerca de 9.345 efectivos residem no meio urbano (35,1%) e 17.246 vivem no meio rural (64.9 %).

A taxa de crescimento médio anual (TCMA %) da população do Concelho é de 0,5 %, abaixo da média nacional que é de 1,23 %. As zonas mais populosas são: A Cidade de Pedra Badejo e as Localidades de Achada Fazenda e Cancelo. Em relação ao tamanho do agregado familiar é de 4.6, um pouco acima da média nacional, que é de 4,2. Importa ainda destacar que de entre os chefes de agregado familiar 42.4% são do sexo masculino e 57,6 % são do sexo feminino.

Situação Socioeconómica

Situação socioeconómica

Antes da proclamação de Santa Cruz como Concelho não havia nenhum tipo de infra- estruturação básica e nenhum tipo de serviço. Os Santa-Cruzenses viviam numa dependência total da Cidade da Praia.

Com a elevação de Santa Cruz à categoria de Concelho o mesmo começou a ganhar a sua autonomia e lançar-se na senda do desenvolvimento. Cresceu quanto ao número de residentes (devido ao seu potencial agrícola e vocação marítima) e pouco depois, Pedra Badejo, zona de maior concentração de pessoas, ascende à categoria de Vila. 

Hoje, a realidade do Concelho e da Cidade de Pedra Badejo é bem diferente, quer pelo aumento da população e expansão urbana, quer pelas infra-estruturas a nível de formação e grau de civilidade das pessoas.
 

Habitação

A Cidade de Pedra Badejo, hoje sede do Concelho de Santa Cruz, surgiu de forma espontânea, sem planificação. Foi a partir dos anos noventa (90) que as autoridades municipais começaram com as primeiras inicitivas de planeamento na localidade de Achada Fátima. De acordo com o perfil de 2012, o Município contava nessa altura  com projectos de planeamento nos seguintes bairros: Achada Vigia, Ilha, Bela Vista e Cruzeiro, Achada Fátima, Ponta Achada, Achada Fazenda, Terra Branca,etc. A Cidade estava  em franca expansão, mas de forma planificada, ao contrário do que acontecia no passado. A falta de planificação tempestiva afectou negativamente os bairros mais antigos da Cidade, tais como Cutelinho, uma parte da localidade de Porto Abaixo e Porto Acima, Bela Vista, Salina e Ponta Achada. Já na zona de Achada Fátima é bem patente os resultados do planeamento e da urbanização. Aliás, é a zona onde concentra as principais infra-estruras do Concelho.

A tipologia das habitações varia conforme o local em causa. Nas zonas de produção agrícola, as casas são do tipo tradicional, construídas com pedra e cobertas de colmo, lusalites, telhas e, atualmente, de betão armado, isto, nos compartimentos principais. O colmo, antes vulgarmente utilizado na cobertura de compartimentos complementares, cozinha e casas de animais, vai dando lugar a cobertura de betão devido, por um lado, à escassez do colmo e, por outro, às novas práticas de construção adoptadas, um pouco por todo o lado.

Já na Cidade de Pedra Badejo, a tipologia é variável.

Na Cidade ainda encontramos edificações antigas, construídas à base de pedra basáltica que outrora dominaram pela sua arquitectura frondosa e que de momento precisam de ser reabilitadas. No passado as casas eram construídas somente de pedra e a cobertura era feita de palha e o chão era de terra batida. Somava-se à casa um quintal que ficava na parte traseira e que servia como cozinha e criação de animais domésticos. A estas casas chamavam-se “casa de palha”. Atualmente as famílias, por mais pobres que sejam, procuram substituir as coberturas de palha (que hoje são raras) por cobertura de madeira e lusalite ou betão armado. 

Em matéria de habitação social o Município tem mobilizado recursos para fazer face ao Planeamento da Cidade, incluindo a melhoria das casas degradadas pertencentes às famílias menos possidentes, sendo o serviço técnico responsável pela materialização dessas políticas, o SAMUO. Tem havido pequenos projectos de reabilitação de habitação social nos diferentes povoados e bairros da Cidade e do Concelho em geral visando fazer face a uma grande demanda em matéria de melhoria das habitações.

O Projecto “ Casa para todos” é um programa do Governo Central que tem cooperado com os Municípios em matéria de reabilitação de casas degradadas, do qual a Câmara Municipal de Santa Cruz tem beneficiado juntamente com outos municípios do País. Ainda, existe o Projecto “Operação Esperança”, também liderado pelo Governo, que é executado pelas associações comunitárias dos Municípios. As autoridades municipais não têm poupado esforços na mobilização de parceiros que possam colaborar em projectos de reabilitação e requalificação urbanas de grandes dimensões.

As ONGs como a SOLMI, OMCV, BorneFonden, e outros parceiros, nomeadamente a Cooperação Portuguesa (através do Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento--IPAD), HABITÁFRICA, etc, têm igualmente contribuído em acções dessa natureza.

Embora tenha o Município de Santa Cruz mobilizado parcerias e recursos em prol do desafio de reabilitação de casas degradadas, ainda continua sendo o desafio principal dentro da sua atividade a reparação dos tectos das casas, rebocos, pintura das mesmas, arruamento, calcetamento das ruas, etc.

De acordo com os dados do QUIBB 2007 cerca de 88,6 % das famílias possuíam habitação própria, valor que se situa acima da média nacional, que era de 69,8%. De acordo com o Censo de 2010 houve um aumento de 0,3 % (passou para 88,9 % a percentagem de famílias com casa própria). Se esse número é reconfortante, já não se pode dizer a mesma coisa quando a pergunta é “qualidade de habitação”. A precariedade habitacional traduz-se em cerca de 44 % de casas que não possuem condições de habitabilidade (INE-QUIBB 2007)

 

Agua

A água consumida no concelho de Santa Cruz advém maioritariamente (82%) de uma complexa rede de furos. Contudo, existem também diversos poços cujo caudal de fornecimento é reduzido, pelo que a nível global o seu efeito é pequeno. Esses furos abastecem não só as diversas localidades do concelho como também são utilizados para a regra nas atividades agrícolas.

A maioria desses furos está localizada junto às seguintes ribeiras: Ribeira Seca, Ribeira da Montanha, Ribeira dos Picos, Ribeirão Seco, Ribeira de Santa Cruz, Ribeira da Boaventura e Ribeira de Salto. 

As zonas de Rebelo, Serelho, Ribeira Seca e São Cristóvão são abastecidas com recurso a autotanques e a acumulação de água para distribuição é feita com recurso a reservatórios.

O consumo per capita de água é bastante variado dentro do concelho. Se na cidade varia entre os 44 e 50 l, nas zonas do interior pode situar-se entre os 12 e os 15l. Embora a cidade de Pedra Badejo tenha água na rede todos os dias, o tempo que dura não ultrapassa as 5h diárias. 

Os reservatórios destinados a armazenar água são insuficientes para servir as necessidades do concelho. No entanto, já está construído um reservatório com capacidade para 1.000m3, o que poderá minimizar a situação.

 

Saneamento

A rede de esgotos de Pedra Badejo já está construída e cobre quase a toda a cidade, que também possui uma ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais) localizada em Rocha Lama. A localidade de Achada Fazenda possui também uma rede de esgotos que, no entanto, está ligada a uma fossa séptica comum.

O PDM de Santa Cruz cita o QUIBB 2007 segundo o qual 44,6% dos alojamentos do concelho dispõem de casa de banho com retrete (56,2% a nível nacional) e 50,5% sem retrete ou latrina (35% a nível nacional). Segundo o PDM, esta situação tem contribuído para a degradação permanente da qualidade do ambiente e da saúde pública.

A recolha do lixo faz-se apenas em algumas localidades e de forma ineficaz dado a insuficiência de meios materiais como contentores, camiões, equipamentos, etc. O lixo é queimado depois a céu aberto numa lixeira municipal, próxima de aglomerados populacionais, e no caminho de acesso a uma das enseadas mais lindas do concelho, ou mesmo do país: Porto Fundo. A situação da recolha e tratamento do lixo em Santa Cruz necessita de grandes
cuidados e melhorias.
 

Saúde

O Sector da Saúde no Município teve ganhos consideráveis em 2010. A entrada em funcionamento do laborário de análises clínicas em 2010 veio não só reduzir o tempo de espera mas também, os custos associados à realização das análises bem como aumentar a capacidade de resposta do Hospital de Pedra Badejo em termos de meios auxiliares de diagnóstico.

O Centro de Saúde dispõe atualmente de uma psicóloga que, de entre várias atividades de apoio e atendimento, faz o acompanhamento dos toxicodependentes, os doentes do VIH-SIDA, mas também às pessoas que chegam ao Centro com doenças derivadas do consumo excessivo do álcool, um dos graves problemas do Município.

A promoção da Saúde, sobretudo dos cuidados primários da saúde, não deve ser da responsabilidade exclusiva das autoridades e agentes da saúde, mas sim de toda a sociedade civil organizada, parceiros e comunidade em geral. Num País com poucos recursos para arcar com os custos da saúde importa mais agir na prevenção do que no tratamento das doenças. 
 

Educação

 A rede educativa é composta por um total de 61 estabelecimentos de ensino, em que 36 servem o Pré-escolar e 24 escolas o Ensino Básico Integrado, distribuídos por 13 Polos educativos e uma Escola Secundária. 

O concelho possui atualmente, uma única escola secundária que acolhe os alunos de todas as localidades e um Centro de Formação Profissional que forma operários, essencialmente para o mercado da construção civil.
 

Pobreza

A situação da pobreza em Santa Cruz continua a ser preocupante pese embora uma redução da taxa da mesma de 58.4% em 2002 para 46.6% em 2007. Anteriormente a incidência da pobreza recaía sobretudo nas mulheres desempregadas e chefes de família. Contudo, reduziu-se a taxa por mais de 10 dígitos percentuais depois de inúmeras intervenções ao seu combate. A pobreza no meio rural porém, continua a ter vestes femininas querendo isto dizer que o género é o principal vítima. Pelo estudo realizado nas comunidades deixa transparecer que as categorias sociais mais vulneráveis à pobreza, genericamente, são as seguintes:

- Os agricultores e camponeses;

- Os trabalhadores desqualificados e com empregos precários;

- Trabalhadores de média idade, despedidos ou cujo trabalho avulso insuficiente para sacá-lo da pobreza;

- Desempregados de longa duração e com baixo nível de escolaridade, incapazes de

encontrar um segundo emprego;

- Idosos pensionistas;

- Mulheres chefes de famílias e em situação de monoparentalidade;

- Famílias numerosas cujo chefe é a mulher e em situação de desemprego;

- Jovens de vícios e com comportamentos desviantes;

- Crianças, sobretudo, órfãs ou pertencentes a famílias monoparentais e disfuncionais;

- Indivíduos portadores de deficiência e incapacidades;

- Doentes crónicos cm paralisia e doenças raras ou sexualmente transmissíveis. 

De acordo com os resultados definitivos do III Inquérito às despesas e receitas familiares, perfil da pobreza, apresentados pelo INE, em 2017 Em termos de distribuição por região 59% dos pobres vivem na ilha de Santiago e Santa Cruz é o concelho com maior percentagem de pobreza   cerca de 60,3% de acordo com dados INE 2015

Actividades Económicas

Atividades económica

Santa Cruz tem no sector primário a sua principal atividade económica. Com efeito, a agricultura e a pecuária bem como a pesca, esta particularmente na cidade de Pedra Badejo, são os principais absorvedores da mão-de-obra e produtores da riqueza municipal.

De forma progressiva o sector terciário, particularmente os serviços e a hotelaria e o turismo, começa a ganhar uma nova dinâmica de desenvolvimento, a par do sector do comércio.

O sector secundário, das indústrias extrativas, de mineração e de transformação não são muito significativos. Contudo, o sector da carpintaria e marcenaria apresenta alguma presença na cidade de Pedra Badejo. As potencialidades no sector da transformação agroalimentar são importantes, como chegou a acontecer no passado. Prevê-se ainda a implantação de uma indústria de produção de cimentos que, em se concretizar, poderá dinamizar ainda mais a economia do município. 

 

Agricultura

No sector da Agricultura houve, nos últimos anos, importantes investimentos na modernização do sistema de rega, com a introdução de irrigação gota-a-gota, a hidroponia e sistemas de retenção e distribuição de água da chuva (barragens, cisternas e condutas de água). A par desses investimentos destacam-se a formação profissional no sector agro-pecuário, destinada sobretudo aos jovens do Concelho.

Pratica se tanto a agricultura de Regadio como de sequeiro.A agricultura de sequeiro é praticada nas zonas mais a montante do município, enquanto a agricultura de regadio temporário e permanente localiza-se nas zonas a jusante das ribeiras, nos vales profundos e zonas do litoral.

O município possui uma das maiores áreas de regadio do país, ocupando tradicionalmente as hortícolas. Santa Cruz destaca-se por possuir uma das maiores plantações de bananas do país, agora nas mãos da Associação dos Trabalhadores do Sector Agrícola de Justino Lopes (zonas de Aguada e de Monte Negro). No entanto, as tendências atuais apontam para uma redução significativa da área ocupada pela bananeira, como consequência direta da seca acentuada aliada à consequente redução dos recursos hídricos, à exploração desregrada de inertes nas praias e à sobre-exposição das águas subterrâneas (poços e furos) com efeito imediato na salinidade da água de rega e salinização dos solos.

Em regime de sequeiro, cultiva-se essencialmente, o milho, os feijões e os tubérculos. A agricultura de regadio é praticada com maior expressão nas principais bacias hidrográficas do concelho (Ribeira Seca e Ribeira dos Picos). No regadio cultivam-se essencialmente hortícolas, fruteiras, raízes e tubérculos. 

As formas de exploração da terra, tanto no regadio como no regime de sequeiro, prevalecem a exploração da terra por conta própria, a parceria e o arrendamento. 
 

Pecuária

O Sector pecuário (criação de gado) constitui uma actividade complementar a de agricultura e tem tido grande importância na economia de Santa Cruz, é impossível falar de agricultura sem falar da pecuária. Os dois sectores estão interligados, não só pela complementaridade, mas também pela necessidade de consumo de carnes, ovos e outros proteicos. Grande percentagem da criação de gado existente é do tipo familiar.

Importa referir a introdução de raças melhoradas e a organização dos criadores em Cooperativa de forma a contribuírem para a dinamização da Ecomonia local e nacional.
 

Industria

A indústria é incipiente, e tal como acontece na maior parte do território nacional, é de pequena dimensão, existindo algumas unidades de cariz artesanal, ou de carpintaria, serralharia e mecânica, e de transformação de materiais para o setor de construção de habitações.
 

Comercio

Historicamente o comércio no Concelho não passava de feiras em dias certos onde se reuniam feirantes e populações para compra e venda de produtos. Os produtos manuais tinham grande ênfase no mercado, como por exemplo, os balaios de carriço ou cordas, as esteiras de ripas de folhas de bananeiras, etc. No mesmo espaço aproveitavam as famílias para expor e vender os produtos pecuários domésticos em pequena quantidade. Da mesma forma os produtos agrícolas se escoavam através deste tipo de comércio.

Com base na técnica da observação directa e participativa é de referenciar dois aspectos relevantes do desenvolvimento comercial: o comércio informal ganha nova expressão no mercado onde muitas famílias usam as suas casas para vender e revender os seus produtos. É habitual as pessoas usarem as suas casas, barracas, ou pequenos quiosques para matança de porcos, vacas, galinhas e cabras, e ainda para venda a retalho. Tais práticas não garantem nenhuma segurança alimentar e carecem de qualquer tipo de inspecção, por outro lado têm o seu ponto positivo dado que as famílias são pobres e obtêm um rendimento através desta prática comercial.

O segundo aspecto refere-se ao aparecimento dos minimercados no Concelho competindo concorrencialmente com outras práticas comerciais pouco formais. É um tipo de mercado formal que está a ganhar terreno com garantia de maior qualidade. Segundo o levantamento feito nas zonas administrativas, alguns estão instalados nos principais centros urbanos, havendo zonas com dois ou três em média. Este segundo aspecto saliente traz grandes vantagens para o Concelho na medida em que são garantidas a quantidade e a qualidade.

O Comércio ganhou um novo impulso com a construção do Novo Mercado e Centro Comercial que têm permitido a intensificação das actividades comerciais entre os Concelhos do Interior de Santiago.)

 

Pesca

A pesca artesanal representa a base de subsistência de muitas famílias dos arredores da vila de Pedra Badejo, nomeadamente de Achada Ponta, Monte Negro, Baía Curta, Areia Branca e Achada Laja. Nessas comunidades, as atividades económicas da pesca e da agricultura têm sido praticadas em paralelo. Devido às baixas capturas nessas localidades, muitos dos pescadores principalmente os de Achada Ponta e Pedra Badejo migram para as ilhas de Boavista e Maio onde existe um potencial haliêutico maior. 

Nos últimos tempos varias ações foram, implementadas no sentido de apoiar o sector das Pesca em Santa Cruz:

Estão em curso as seguintes ações:

Reabilitação do Cais de Pesca de Santa Cruz

Existência de um espaço próprio de apoio as atividades ligadas ao sector das pescas

Instalação e recuperação de Dispositivos de Concentração de Pescado  

Em curso realização de ações de formação nas diversas áreas – qualidade, manutenção de máquinas de gelo, gestão de pequenos negócios, empreendedorismo, construção naval, marinheiro pescador;

Disponibilização de kits para o apetrechamento das embarcações artesanais com sondas, equipamentos de apoio à navegação e segurança no mar;

Em curso, distribuição de embarcações destinados as comunidades.

Turismo

Turismo

Santa Cruz apresenta condições naturais que poderão ser potencializadas para o desenvolvimento do Concelho, nomeadamente, as paisagens exóticas, a sua riqueza cultural, a gastronomia, o mar, a música: funaná, batuque, finason e tabanka.

Apesar do turismo ser uma vertente ainda por explorar poderá vir a constituir uma oportunidade para o desenvolvimento sócio-económico do Município, devido às condições geográficas e naturais atraentes para a sua prática tanto de montanha, como de praia.

O Núcleo de Santa Cruz da Câmara de Turismo de Cabo Verde, em articulação com a Câmara Municipal de Santa Cruz, identificou 9 potenciais Aldeias Turísticas no Município, integradas no resort virtual denominado Resort Funaná Santiago Maior.

- As referidas Aldeias Turísticas são: 

- Aldeia Turística de Achada Lage, Saltos Abaixo e Ponta Saltos;

- Aldeia turística de Cancelo e Achada Belbel;   

- Aldeia turística da Barragem da Figueira Gorda

- Aldeia turística do Porto Fundo;  

- Aldeia turística da Cidade de Pedra Badejo;  

-Aldeia turística da Ribeira dos Picos;  

-Aldeia turística da Achada Igreja, Achada Fazenda e Achada Ponta;  

-Aldeia turística da Barragem do Poilão

-Aldeia turística do Monte Negro;
 

Atrativos turísticos naturais

Os recursos naturais do concelho de Santa Cruz são bem visíveis ao longo da estrada principal, expondo uma grande diversidade de paisagens antrópicas e contrastantes. A flora e a fauna dos municípios de Santiago não variam muito, mas cada um apresenta suas características inerentes e no concelho em causa pode-se destacar a águia-pescadora (Pandion haliaetus), o Andorinhão (Apus alexandri), a tartaruga marinha (Caretta caretta), a Gestiba (Sarcostemma daltonii) e o Coqueiro (Cocos nucifera)

 

Monte Vigia

Fica localizado no lado norte da cidade de Pedra Badejo, na localidade de Achada Fátima. É um monte de fácil acesso e muito visitado devido à ampla vista sobre toda a cidade de Pedra Badejo e arredores que se consegue ter no cimo da cruz de ferro com 26 metros de altura. 

 

Monte Bidela e Monte da Cruz

O primeiro fica localizado na extremidade sul do concelho enquanto o segundo entre os povoados de Achada Laje e Covão Sanches, e ambos apresentam um elevado interesse paisagístico e geológico, por isso a Câmara Municipal, no seu PDM propõe que sejam incluídos na Rede Nacional de Áreas Protegidas (RNAP) como monumentos naturais. São acedidos por trilhos normalmente usados por pastores.

Outros montes podem também ser visitados pelo panorama que proporcionam sobre as localidades vizinhas, tais como o monte Asno, monte Sal e monte Grande.

 

Pedra Badejo

Fica num plateau na costa leste da ilha de Santiago, é a sede do município de Santa Cruz e a 3ª maior localidade no que tange ao número de habitantes na ilha. Ascendeu à categoria de vila no dia 2 de julho de 1973 e em 2010 a cidade.

É uma das localidades do concelho cujo centro histórico precisa ser reabilitado e conservado para fins turísticos e preservação cultural, principalmente devido ao tipo de construção tradicional existente.

 

Achada Igreja

Em tempos, ali existiu a primeira igreja Matriz do concelho em consagração ao padroeiro local – “Nhu Santiago Maior”. Presentemente deste ícone religioso-cultural, só restam vestígios da fachada da Igreja, rodeados de algumas sepulturas que indicam a existência de um cemitério. Existe um projeto e intenções para a sua reabilitação, o que é muito bem visto pela comunidade local. Além das ruínas já referidas, pode-se visitar as duas lagoas naturais, Lagoa e Lagoinha, que existem no limiar da praia de areia negra e a própria praia.

 

Cancelo

Localizado na zona norte do concelho, o seu centro histórico é de interesse para visitas onde se pode observar o modo de vida local e edifícios de arquitetura tradicional. Apresenta potencialidades tanto para o desenvolvimento do agroturismo na propriedade conhecida como “Justino Lopes”, outrora uma grande produtora de alimentos que abastecia toda a ilha; como para o turismo balnear na praia de coqueiro.


Porto Madeira

 Localizada no extremo sul do concelho, tem uma estrada de acesso a partir da estrada principal do concelho, antes de se chegar à localidade de Renque Purga na direção Praia – Santa Cruz. 

A via de acesso encontra-se em bom estado de conservação mas existe algumas dificuldades em relação à frequência de transportes públicos para a povoação.

Desde a segunda metade da década de 90, a localidade de Porto Madeira vem sendo transformada numa aprazível vila artística e turística, com o objetivo maior de melhorar as condições de vida da população local e promover a arte e os artistas de todo mundo, através do projeto 6º Continente.

Esta filosofia de vida, 6º Continente, carateriza-se pelo envolvimento da população local na tomada de decisões dos programas a incrementar e na sua utilização como mão-de-obra, ou seja, inclui os moradores no processo de desenvolvimento local.

Tem-se realizado vários projetos para o desenvolvimento do artesanato e do turismo neste povoado, transpondo várias barreiras, principalmente de ordem financeira, tais como:

•A Avenida dos Artistas, a rua principal que guia o visitante pela povoação acompanhado por uma exposição permanente de poesias, fotografias, ditados e outros componentes artísticos;

•A Residência dos Artistas, uma casa de estilo tradicional do meio rural que acolhe todos os artistas que queiram passar uma temporada na povoação a troco de uma peça de arte feita pelo artista visitante durante a sua estada;

•O Caminho Poético, um trilho de terra batida com várias peças, poesias e outros elementos artísticos ao longo de um percurso que vai até o ponto mais alto do concelho, o monte Bidela;

•A rotunda da Meia-Lua, um anfiteatro a céu aberto com programas artísticos diversos, como declamação de poesias, serões musicais, etc; 

•O miradouro ou a Cruz do Batismo, um dos pontos com uma bela vista sobre parte da localidade, onde antigamente se realizavam os batizados locais;

 

Ribeira Seca

É a maior ribeira do concelho e, apesar do nome é muito verde, apresenta uma paisagem antrópica com culturas de regadio e sequeiro, onde já introduziram o sistema de rega gota-gota para maior rentabilização das terras e o aproveitamento das águas provenientes da barragem do Poilão. O PDM local propõe a sua proteção como paisagem protegida dentro da RNAP do país. É uma ribeira de grande extensão e de fácil acesso, pois por ela passam as duas principais estradas que ligam o concelho aos municípios vizinhos da parte sul da ilha.


Ribeira de Cumba

Da zona de Achada Ponta pode-se desfrutar da viçosa paisagem desta ribeira que é uma das encostas mais espetaculares do município de Santa Cruz, onde se pode observar algumas espécies da fauna e flora local, destacando-se pequenos grupos de macacos.
 

Ribeira dos Picos 

Do alto da localidade de João Toro, usufrui-se de uma vista privilegiada da vasta e verdejante Ribeira dos Picos, com coqueiros e bananeiras a sobressaírem na paisagem. 

É uma ribeira de fácil acesso e pela sua localização e caraterísticas ambientais, possui uma vasta gama de pássaros e plantas endémicas que constituem o seu forte atrativo turístico.

Representa o terceiro elemento na categoria de paisagem protegida proposto pelo PDM local para a RNAP. Existem outras ribeiras no concelho e todas podem ser visitadas pelas suas caraterísticas naturais e pelas paisagens antrópicas, como a Ribeira de Saltos, Lage, Flamengos e de Santa Cruz.
 

Lagoa e Lagoínha

Em algumas das desembocaduras das ribeiras formam-se alguns charcos temporais, por arrastamento de águas pluviais que se concentram em frente a barras de calhaus e areias, com vegetação caraterística e uma peculiar avifauna.

No concelho de Santa Cruz destacam-se dois charcos, Lagoa e Lagoínha, localizados nos arredores de Achada Igreja, ambos de fácil acesso a partir desta localidade, na desembocadura da Ribeira dos Picos e Ribeira Seca respetivamente.

Encontram-se em mau estado de conservação, visto servirem de depósito de entulhos e outros tipos de lixo das localidades vizinhas, o que prejudica a biodiversidade deste meio. 

Foram declaradas Zonas Húmidas de Interesse Internacional, de acordo com o Convénio RAMSAR, assinado por Cabo Verde, devido ao alto valor ecológico que apresentam e são propostas para a categoria de reserva natural temporal dentro da RNAP de Cabo Verde

 

Praia de Areia Grande

É a maior praia do concelho, com mais de 3 quilómetros de extensão, onde todos os anos se realiza o famoso festival de música de Areia Grande, bem como outras atividades culturais e desportivas. Localizada nas proximidades da estrada principal do concelho, encontra-se em bom estado de conservação, precisando, contudo, de mais intervenções principalmente a nível do saneamento.


 

Praia de Porto Fundo

Localizada atrás do Monte Vigia, na Ponta de Santa Cruz, é uma linda enseada de águas calmas que oferece uma bela paisagem natural ao visitante. Apesar da pouca intervenção humana notória, pode-se constatar uma velha escadaria que pode ser reaproveitada para fins turísticos. Existe porém uma lixeira municipal na estrada de acesso.

A pequena praia de calhaus precisa de algumas intervenções de melhoramento para melhor se usufruir deste lindo pedaço secreto.

 


Praia de Mangue

Localizada na foz da Ribeira de Mangue, é uma praia com alguma dificuldade de acesso devido as condições da estrada.

Representa um dos pontos tradicionais de desova de tartarugas da espécie Caretta caretta na costa Este da ilha, o que lhe confere interesse para estudos científicos e observação desta e de outras espécies que a frequentam, mas também muito procurada por pessoas de outros concelhos para os seus programas de fins-de-semana. Ali se encontra os vestígios de um barco encalhado há muitos anos atrás de nome Agrillia, do Panamá. 

 

Praia de Coqueiro

Fica nas proximidades de Cancelo, é considerada uma das mais belas praias de Santa Cruz e assemelha-se a uma paisagem lunar com pequenas crateras vulcânicas. É uma das duas ZDTI do concelho no entanto, a apanha da areia para a construção civil tem vindo a degradar a praia, prejudicando toda a beleza cénica, bem como a flora e a fauna local.

 

Orla Litoral Ponta Coqueiro a Ponta Ribeira Lage

Localizada entre as localidades de Cancelo, Covão Sanches e Achada Lage, é uma extensa área costeira com alto valor paisagístico e de fortes interesses científicos devido à fauna e flora deste tipo de paisagem, por isso o PDM local propõe a sua inclusão na RNAP de Cabo Verde como uma Reserva Natural Temporal Litoral. Fica a escassos metros da estrada que liga o concelho ao município vizinho de São Miguel.

 

Baía entre Areia Branca e Ponta do Salto

Nesta baía pode-se encontrar exemplares de corais, principalmente dos géneros Porites e Siderastrea, que pelo valor ecológico e paisagístico constituem fortes atrativos turísticos, resguardando criteriosamente os pilares de sustentabilidade para a preservação de um ambiente tão frágil. 

Ambiente

Ambiente

A morfologia de Santa Cruz caracteriza-se por um emaranhado de montes, ribeiras e achadas. As pequenas serras, por seu turno, vão-se aplanando, dando lugar aos planaltos, normalmente denominados de “Achadas”.

A partir do estudo de mapas e cartas geográficas do Concelho, é possível distinguir diversas áreas geomorfológicas de acordo com um maior ou menor predomínio das elevações. A zona de Saltos e outras são condicionantes a um certo tipo de clima e de actividades económicas propícias em cada região.

Pois, um dos riscos da construção urbana prende-se com a derrocada das casas e tectos que aumenta nas épocas chuvosas em todo Concelho e em particular na Cidade de Pedra Badejo e arredores. O problema central em Santa Cruz, mais concretamente da Cidade, e que pode constituir o maior risco urbano tem a ver com as habitações degradadas, ou seja habitações que carecem de reabilitação, nomeadamente tectos, paredes, acabamentos e pinturas.

Cerca de 60% das casas no Concelho precisam de reabilitação dos tectos com alguma urgência por terem sido construídas numa altura em que havia falta ou pouca mão-de-obra especializada e de técnicos de construção civil. De momento, os serviços de promoção social da Câmara Municipal se deparam com cerca de oito mil pedidos de apoio para reabilitação de tectos de casas que estão em perigo de derrocada, ameaçando a segurança das famílias.

Elaborou-se o Plano de Desenvolvimento Urbano do Litoral, o PDU-LSMC, que permite a afectação de solos compatível com as preocupações ambientais e com o desenvolvimento sustentado da Cidade. Este plano abrange a parte Este do Concelho de Santa Cruz e apresenta uma grande diversidade ecológica e paisagística. O seu litoral tem 15 km de extensão, sendo 7 km com 400 metros de largura do Litoral Centro, com uma superfície de 497 hectares.

O Plano de Ordenamento, em elaboração, propõe a criação de quatro (4) Unidades Operativas de Planeamento e Gestão. As UOPG demarcam espaços de intervenção com uma planeada ou pressuposta coerência e que devem ser tratados a um nível de planeamento de maior detalhe. A partir dali desenvolvem-se planos ou projectos de gestão e Planos detalhados (6 PD).

Cultura

Cultura 

A nível da cultura várias são as manifestações: desde batuco, tabanca, funaná e outras. Vários são os artistas em diferentes domínios; existe uma escola municipal de música. Em várias localidades existem grupos de batucadeiras. Há uma biblioteca municipal, um cinema que será transformado numa casa de cultura. De referir os grande nomes da cultural de Santa Cruz e de Cabo Verde em geral, como Nha Nácia Gomes, kacthás, Sema Lope, Antão Barreto, etc.

A dinâmica da vida artística e cultural, o nível e capacidade, a oferta dos equipamentos culturais, o grau de qualidade/quantidade e o atractivo dos equipamentos culturais, bem como o número e diversidade de agentes artísticos e culturais são factores indicativos do desenvolvimento social do município.

 

Atrativos Culturais Materiais

As construções religiosas constituem muito do espólio construído no concelho, com a Igreja Matriz, as várias capelas espalhadas pelas localidades, bem como as ruínas da primeira Igreja Matriz do concelho e seu cemitério.

Contudo, pode-se destacar ainda os centros populacionais com casas de arquitetura tradicional, os trapiches, as infraestruturas de apoio à pesca e a rede viária tradicional, como elementos do património edificado do concelho. Destes destacam-se os seguintes:
 

Ruínas da Igreja e do Cemitério de Achada Igreja.

Entre as construções de ordem religiosas contabilizam-se no concelho 13 edifícios de culto usados pelas respetivas comunidades, com maior realce para as ruínas daquela que foi outrora a Igreja Matriz, em homenagem ao padroeiro do concelho, São Tiago Maior.

Na localidade de Achada Igreja encontram-se as ruínas da referida igreja e algumas campas do seu cemitério que constituem motivos etnográficos fortes para a inclusão deste povoado nos roteiros de quem visita o concelho. Contudo, essas ruínas precisam de algumas obras de requalificação enquanto sítios de memória.
 

Largo Catchás

Rei do Funaná”, esta é a designação pela qual ficou conhecido o músico e compositor Carlos Alberto Martins - Catchás (1951-1988), fundador do conjunto Bulimundo, criador e impulsionador do movimento funaná.

Filho deste município, nasceu em Renque Purga e a casa onde vivia, de estilo tradicional, pode ser incluída no circuito dos turistas que visitam o concelho, como elemento de interesse turístico cultural, bem como as casas de outros artistas do concelho como “Nha Nácia Gomi”, rainha do “finaçon”, Sema Lopi, Antão Barreto, entre outros.

É a rua emblemática do centro histórico da cidade de Pedra Badejo porque era o maior ponto económico e social do concelho onde, até há uns anos atrás se podia observar o movimento de pessoas que desenvolvem diferentes atividades económicas do município, tais como os condutores de Hiaces - veículo de transporte mais utilizado pela população para se deslocar a outras localidades, as vendedeiras do mercado – peixeiras, “rabidantes” de roupas e de outros produtos. Atualmente, o movimento foi transferido para Achada Fátima com a edificação do novo mercado municipal. O largo Catchás vai ser requalificado e a área do edifício do antigo mercado municipal foitransformado numa praça, criando assim uma rua pedonal.

 

Edifício Bulimundo

Edifício construído em 1960 para ser um hospital psiquiátrico, acabou por funcionar desde a criação do município como Paços do Concelho. Atualmente encontra-se em mau estado de conservação e com poucos setores camarários a funcionarem ali.

Devido á sua localização estratégica, contígua ao porto de Pedra Badejo, poderá ser aproveitado como uma unidade de alojamento, com sala de conferências e espaços de entretenimento ou ponto de encontro cultural para a população local e visitantes.

Falucho

Uma esplanada construída em forma de uma embarcação tipicamente mediterrânica com velas triangulares, mais precisamente um Falucho em homenagem a todos os que em tempos faziam a ligação do concelho e ilha de Santiago com as outras ilhas.

Fica localizada nas imediações do porto de Pedra Badejo que lhe confere uma majestosa vista sobre a baía de Santa Cruz, por isso é muito procurada pelos visitantes e pela população local, entretanto neste momento encontra-se fechada e em restauração.

 

 Porto de Pedra Badejo

Já serviu em tempos passados para fazer a ligação marítima principalmente com a ilha do Maio, onde vivem várias pessoas oriundas do concelho de Santa Cruz. Com cheiro a mar e a peixe, os pescadores começam a chegar do mar de manhã e as peixeiras, concentradas no Porto, carregam os peixes em alguidares e saem a vender pelas ruas e no Mercado. É mais um ponto de interesse turístico onde os visitantes podem ver a faina das pessoas ligadas ao mar e comprar produtos do mar frescos na hora.

 

Trapiche

Engenho destinado a esmagar a cana-de-açúcar, mais frequente no meio rural e tradicionalmente movida a tração animal, geralmente bois, ao som de cantigas de canga boi para incitar o animal. Atualmente, os trapiches tradicionais vêm sendo aos poucos substituídos por trapiches motorizados. Inicialmente utilizava-se a força escrava.

A cana é moída e o seu suco, vulgarmente conhecido por calda, recolhido num recipiente para futuro tratamento. Deste produto produz-se o “grogue” - bebida alcoólica tradicional do país - através da destilação num alambique, bem como alguns derivados do grogue e o mel.

Neste concelho contabilizam-se 5 trapiches, 2 na Ribeira de Salto, mais precisamente em Casa Branca e Achada Lage, 1 na Ribeira da Montanha, na localidade de Paulado e os restantes na Ribeira dos Picos e Ribeira Seca, respetivamente.
 

Património Cultural Imaterial

No que diz respeito ao património histórico-cultural imaterial destacam-se, como no resto do país, as festas religiosas ou de romarias, a música, a gastronomia, o artesanato, bem como algum modo de vida singular de grupos especiais, como os Rabelados, que constituem fortes elementos culturais para o desenvolvimento do turismo cultural

A 25 de julho comemora-se no concelho de Santa Cruz o dia do município e a festa do Santo padroeiro, São Tiago Maior ou “Nhu Santiago”. É uma das festas mais rijas do concelho onde se realizam todos os anos o festival de música da praia de Areia Grande, com presença de artistas de renome internacional, e ainda por esta ocasião organizam outras atividades como o concurso “Miss Santa Cruz”, concurso de vozes “Todo Santa Cruz Canta” bem como corridas de cavalos..

Outras Festas do Concelho:

 

Festa

Data

Localidade

São José

1 de maio

Renque Purga

Nha Bela Cruz

3 de maio

Terra Branca e Santa Cruz

Assunção de Nossa Senhora

31 de maio

Saltos de Baixo

Nha Santa Teresinha

Depende do calendário litúrgico

------------

Cinzas

--------

Achada Laje

Nhu São Pedro

29 de junho

Cancelo

 

 

 

 

 

 

Festival "Um Concelho Três Ritmos"

Realizado na cidade de Pedra Badejo, é organizado anualmente no mês de março, por ocasião do aniversário do desaparecimento físico de Catchás, um dos artistas de renome na música caboverdiana e da criação do Concelho de Santa Cruz. São realizados vários espetáculos de Funaná, Batuco e de Tabanca, os três estilos que dão nome ao evento e atrai muitas pessoas de diferentes pontos do país bem como visitantes estrangeiros.

 

Rabelados

Grupo social que se isolou das outras comunidades na ilha de Santiago, com especificidades próprias que os diferencia dos restantes agregados sociais do país. Fazem parte de uma identidade de resistência às mudanças introduzidas na religião católica antes da década de 40 do século passado, constituindo-se em “os revelados”, os escolhidos de Cristo, cuja missão é a de preservar e revelar a palavra sagrada. 

Têm um modo de vida própria e dificilmente se misturavam ou recebiam pessoas de fora da comunidade de Rabelados nas suas vilas, contudo, atualmente têm mostrado alguma abertura em algumas das suas comunidades.

No concelho existem comunidades de Rabelados em Achada Bel-Bel, que é acedido através da estrada de desencravamento a partir de Cancelo e Pó Encostado, a partir de Santa Cruz.


 

Gastronomia

Por ser um concelho com comunidades tanto do litoral como do interior, a sua gastronomia é muito baseada nos produtos do mar misturado com os das propriedades agrícolas, apresentando pratos como a caldeirada de peixe, “caçom” no forno, a cachupa, doçaria e licores a base de frutas da terra, como a manga, a banana, o coco, entre outras mais.

Género

Género

No caso do Concelho de Santa Cruz, onde a principal actividade económica se resume à actividade agropecuária, pesca e pequeno comércio, a pobreza afecta, estatisticamente comprovada, mais as mulheres chefes de famílias do que os homens.

A situação social da mulher está ainda muito aquém do ideal e como se isso não bastasse é nela que encontramos a maior percentagem da pobreza, do desemprego, etc. Ainda associado a isso está o facto da maioria dos chefes de agregado familiar serem mulheres. Muitas mães solteiras vivem dos trabalhos por conta própria como a apanha de inertes nas ribeiras e praias, venda de peixe, venda a retalho em barracas/quiosques ou porta-a-porta. Muitas vivem na dependência económica do marido ou companheiro e, muitas vezes, registam-se maus-tratos de que são vítimas.

A Câmara Municial (executivo municipal) dispõe de sua própria unidade de apoio à promoção de igualdade e equidade de género.

Existem várias ONGs, umas com delegações a nível do Concelho, que trabalham com as associações comunitárias e associações de mulheres da Cidade de Pedra Badejo – como MORABI (Associação de Apoio a Auto- Promoção da Mulher no Denvolvimento); OMCV (Organização da Mulher de Cabo Verde; Associação Seropositivo de Santiago; SOLMI (Associação de Apoio as Iniciativas Auto- Promoção); ICIEG (Instituto para Igualdade e Equidade de Género) e Associação das Mulheres Juristas prestam o apoio juridico as vítimas de violência domestica e também as vítimas vulneralveis a possibilidade de beneficiar de um tratamento especifico, o mais adaptado possível a sua situação.

O financiamento das actividades relacionados com a promoção da igualdade de género e da promoção da melhor em Santa Cruz é, para as instuições públicasm assegurado, em grande medida pelos recursos orçamentais do governo central e do orçamento do município. Para as ONG e as associações, os projectos são financiados seja pelo governo seja pela cooperação internacional ou ainda em situações menos significativas com recursos próprios.

Considerando a reduzida capacidade de financiamento a nível local, impõe-se o desenvolvimento de estratégias visando o estabelecimento de parcerias com organismos de cooperação bilateral e multilateral, como ONG internacionais e no quadro da cooperação descentralizada.

ENDEREÇOSede
LOCALIZAÇÃOOnde nos encontrar?
https://anmcv.cv/wp-content/uploads/2020/10/ilhas.png
REDES SOCIAISLinks
NEWSLETTERSubscreva

    ENDEREÇOSede
    Edif. IFH Bloco C-R/C, Achada Santo António - Praia
    (+238) 262 36 34
    anmcv35@sapo.cv
    Delegação
    Avenida Baltazar Lopes da Silva, Mindelo – São Vicente
    (+238) 353 04 36
    LOCALIZAÇÃOOnde nos encontrar?
    https://anmcv.cv/wp-content/uploads/2020/10/ilhas.png
    REDES SOCIAISLinks
    NEWSLETTERSubscreva

      Visitas desde 15/02/2022: 43548

      Copyright © 2022 ANMCV. Design & Developed by Cloud Technology

      Copyright © 2022 ANMCV. Design & Developed by Cloud Technology