Barlavento Porto Novo

A cidade do Porto Novo, anteriormente designada Carvoeiros, é a sede do concelho de mesmo nome. Trata-se do maior centro urbano de Santo Antão e contém o principal porto da ilha.

Órgãos Eleitos 
Contactos
Contexto histórico
Situação Socioeconómica
Actividades Económicas
Turismo
Ambiente
Cultura
Género
Órgãos Eleitos 

Órgãos


A gestão urbana é da responsabilidade da Câmara Municipal nos termos da lei em vigor, que gere o Plano de Desenvolvimento Municipal e os Planos Urbanos. Porto Novo possui uma Câmara Municipal com um presidente e 6 vereadores e uma Assembleia Municipal constituída por 17 deputados, nos termos da legislação em vigor.

Constituição da Câmara Municipal
Aníbal Azevedo Fonseca
Maisa Marlene Santos Pinto
Valter Roberto Lima Silva
Irlando Delgado Ramos
Dilma Silene Gomes da Cruz
Nilson Roberto Andrade Santos
Joana Antónia Delgado

Constituição da Assembleia Municipal
Maria Jaqueline Lima Rocha - MPD
Vitória fortes Sabino - PAICV
Osvaldino Silva Lopes - MPD
Ildo da Rocha Ferreira Gomes - MPD
Jorge Aristides Barbosa - PAICV
Carlita Delgado Santos - MPD
Jorge Monteiro Fonseca - MPD
João Baptista Pires Oliveira - PAICV
Marlon Ulisses Ferreira Chantre - MPD
Valentina Évora Delgado Évora - MPD
Ligia Maria dos Santos - PAICV
Mateus António Pires - MPD
José Manuel da Graça - UCID
Kelvis Verissimo Silva - MPD
Osvaldo Eugénio Fortes - PAICV
Elsa Filomena dos Reis Évora - MPD
Georgino Delgado Verissimo - MPD

Contactos
Contactos

 

Endereço: Cidade do Porto Novo

 

Telefone: (+238) 333 25 31

                  (+238) 333 25 00

 

Fax:           (+238) 222 11 60

Contexto histórico

Contexto histórico do Município


Em Maio de 1732, com a chegada do ouvidor Dr. José da Costa Ribeiro, mandado pelo Rei para fazer o primeiro termo de vereação da Vila da Ribeira Grande, para pronta eleição de vereadores da Câmara a 7 de Maio do mesmo ano, cria-se a Vila da Ribeira Grande e o Concelho da Ilha de Santo Antão, tendo a Vila substituído a Povoação de Santa Cruz.
Em 1867, a Ilha é desdobrada em dois Concelhos, com o aparecimento do Concelho do Paul. Levando em consideração a proximidade entre os Concelhos acima referidos, em relação à extensão da ilha, houve a necessidade de incidir sobre os Carvoeiros, actual Porto Novo.
O Povoamento do Porto Novo foi relativamente tardio (meados de 1750), devido à escassez de recursos naturais (água) e à dispersão geográfica. Os primeiros povoamentos localizaram-se nas zonas de Alto Mira, Ribeira da Cruz, Martiene e Tarrafal de Monte Trigo, devido à existência de algumas potencialidades agrícolas.

Criação
Por Decreto de 19 de Abril de 1912 é criado pela primeira vez o Concelho do Porto Novo, que não chegou a funcionar, possivelmente, por falta de verba ou por outras razões, nomeadamente de ordem política, até que em 1962 o Concelho do Porto Novo passa a ser uma realidade depois de ter passado por ser um Posto Administrativo em 1942.
Foi dividido em duas zonas administrativas, com a colocação de dois Regedores nas Freguesias de São João Baptista com sede em Ribeira das Patas e Santo André com sede em Ribeira da Cruz

Localização geográfica
Situado no sul da Ilha de Santo Antão, o Município do Porto Novo é o maior concelho da ilha com uma área total de 557 quilómetros quadrados, correspondendo a 2/3 (67%) da superfície da mesma.
Esta localização favoreceu o rápido crescimento do porto de Carvoeiros, mais tarde denominado Porto Novo, na primeira metade do século XX, mas com grande dinamismo no último quartel do seculo XX, após a saturação do espaço urbano nas vilas de Ribeira Grande e Pombas no Paul.

População
Segundo os dados do Censo de 2010 o Município contava nessa altura com uma população de 18.028 habitantes, o que representa a menor densidade populacional da ilha (31,7 habitantes por km2).
De registar, entretanto, que Porto Novo é o único Município da ilha de Santo Antão que registou crescimento populacional entre 2000 e 2010 (+0,5%), ao contrário do que ocorreu nos Municípios do Paul (-1,8%) e Ribeira Grande (-1,3%).
O Município possui 3.925 agregados familiares, com uma média de 4,6 pessoas por agregado (ligeiramente superior à media nacional, de 4,1). A percentagem de população urbana (52%) é inferior à média nacional (62%), não obstante a tendência acentuada de fluxos migratórios do campo para a cidade que se regista nos últimos anos.

Situação Socioeconómica

Situação socioeconómica


Habitação
O défice habitacional para o Município de Porto Novo foi avaliado em 898 casas no ano de 2010. O Governo criou um programa de habitação social denominado “Casa para Todos” e, neste quadro, o Concelho de Porto Novo recebeu com apoio do Governo central 250 casas, sendo 100 de classe A e 100 de classe B e 250 de C.
Entretanto, a Câmara Municipal vem promovendo habitação social com recursos próprios ou em alternativa cedência do terreno às famílias carenciadas.

Agua
Existem redes de abastecimento de água com dimensões já consideráveis e respectivas ligações domiciliárias, em número significativo que dão cobertura à maioria da sua população. Em alguns casos, no entanto, fontenários públicos continuam a ser utilizados, principalmente onde não há acesso à rede, ou há dificuldades na execução das ligações domiciliárias
No meio urbano, as pessoas são servidas com 40 litros per capita por dia; no meio rural são 25 litros per capita por dia. A qualidade da água no meio rural é satisfatória, mas na cidade e em Monte Trigo, a qualidade é menor devido à elevada salinidade, dada a sua origem geológica. Muitas famílias pobres acabam armazenando grandes quantidades de água em casa, em condições precárias.

Saneamento
O saneamento do meio é ainda deficiente, pois só 25 % da população no meio urbano tem rede de esgoto. Este é tratado em cinco grandes fossas sépticas de 4 compartimentos.
O custo do saneamento da cidade é quase na sua totalidade assumido pela tesouraria municipal, situação que tem melhorado desde 2006 com a criação do SAAS-PN e a introdução das taxas de lixo e de esgoto, indexadas à facturação da água.
A necessidade sentida em melhorar qualitativa e quantitativamente todo o sistema de abastecimento de água às populações, nomeadamente com a extensão da rede e de paralelamente, criar as condições para um melhor serviço de recolha, tratamento e deposição dos resíduos sólidos, em suma, melhorar todo o sistema de saneamento do Concelho, fez com que tanto o poder central bem como o poder local dessem uma especial atenção a esta problemática.

Saude
Em termos de infra-estruturas sanitárias, o Concelho do Porto Novo, dispõe de uma razoável cobertura, com um Centro de Saúde com uma capacidade de trinta e duas camas para uma população 19.100 habitantes; possui ainda três Postos Sanitários, em Tarrafal de Monte Trigo, Ribeira da Cruz e Alto Mira, catorze Unidades Sanitárias de Base distribuídas pelas várias comunidades dispersas do Município, duas Farmácias e um Posto de Venda de Medicamentos. Em relação a cuidados de saúde, 45% da população encontra-se a menos de meia hora do Centro de Saúde.
No entanto, no concelho existem mais 4 postos sanitários nas zonas de Chã Orgueiro, Ribeira da Cruz, Tarrafal de Monte Trigo e Chã de Morte e 15 unidades sanitárias de base nas localidades de Ribeira Fria, Ribeira dos Bodes, Manuel Lopes, Lajedos, Cívio, Laja, Dominguinhas, Ribeira da Cruz, Chã de Norte, Aldea Norte, Monte Trigo, Chã Queimado, Pascoal Alves, Chã de Parede e Planalto Leste.
Trabalham um total de 5 médicos (4 clínicos gerais e 1 pediatra), 12 enfermeiros, 1 auxiliar de saúde reprodutiva, 1 técnico de laboratório, 1 técnico de farmácia, 1 técnico de radiologia e 20 agentes sanitários de base.
Existe uma farmácia pública e duas privadas. No âmbito privado existem três centros de odontologia, um de fisioterapia e um posto de enfermagem.se (USB), a menos de meia hora de percurso.

Educação
O Sistema de Ensino no Concelho do Porto Novo comporta os seguintes subsistemas do Ensino (Anuário da Educação 2009/2010):
- Pré-Escolar, com 783 crianças em 24 jardins infantis funcionando em 34 salas, administrados por 33 orientadoras e 01 monitora e geridos pela Delegação do MEVRH e pela Câmara Municipal;
- Ensino Básico Integrado (1ª a 6 ª classe), funcionando em salas de aulas espalhadas por todas as localidades do Concelho, num total de 2. 538 Alunos, 215 repetentes por ano, distribuídos em 92 salas de aulas, com 138 professores sendo que somente 07 não tem formação. O aproveitamento do ano lectivo pode-se considerar positivo, pois 2209 alunos transitaram de ano e somente 288 reprovaram;
Ensino Secundário subdividido em via técnica e geral e funcionando na Escola Técnica do Porto Novo. A via técnica foi projectada para satisfação das necessidades de procura de toda a ilha de Santo Antão. A via geral para cobertura das necessidades do concelho nesta matéria. Um Internato com a capacidade para albergar oitenta alunos das localidades mais distantes do Concelho e da ilha serve de suporte logístico à dita Escola Técnica.
O pós-laboral do Ensino Secundário e alfabetização de adultos completa o sistema de ensino vigente em Porto Novo. No ano lectivo 2009/10 matricularam-se 2528 alunos e somente 215 reprovaram.
O Concelho do Porto Novo apresenta, de acordo com o QUIBB 2007, uma taxa de alfabetização de 72,4,%, tendo o sexo feminino uma taxa mais expressiva do que o masculino. A maioria da população já está alfabetizada, mas ainda existe uma franja expressiva de analfabetos. O sistema de alfabetização é administrado por 11 animadores profissionais (alfabetizadores) entre os quais 2 inactivos, 17 voluntários e 4 animadores recrutados para trabalhar junto as FAIMO.

Pobreza
É o Concelho onde a pobreza é mais marcante e em que a maior parte da população não tem grau de escolaridade e formação profissional suficientes para trabalhar em outros sectores, procurando a Agro-pecuária como alternativa à sua sobrevivência.
Devido a essa escassez de alternativas de sobrevivência, a população tem emigrado para as outras ilhas ou para o exterior. Internamente acontecem igualmente fluxos migratórios do interior do Concelho para a Cidade do Porto Novo à procura de uma vida melhor, o que nem sempre acontece. Esta tendência é notória nos censos populacionais de 2000 e de 2010 do INE.

Actividades Económicas

Actividades económicas

Em relação às actividades agrícolas, quer de regadio quer de sequeiro e em virtude das condições adversas do meio ambiente, estas apresentam geralmente uma produtividade baixa em comparação com as restantes regiões da Ilha de Santo Antão.
A Pecuária constitui actualmente uma das poucas potencialidades do Concelho, particularmente nas localidades do Planalto Norte, Sul, Lagoa e zonas periféricas da Cidade do Porto Novo.
No que concerne à Pesca, e apesar da existência de algum potencial, a falta de tecnologias apropriadas à captura do pescado constitui um dos factores limitantes do aproveitamento deste recurso.

Possui um grande potencial turístico, oferecendo uma riqueza paisagística atractiva com um jogo de contrastes entre o verde e paisagens lunares, as praias e a natureza das montanhas.

Agricultura
Apesar da existência de bons solos, as condições climáticas do Porto Novo não favorecem uma maior produtividade das actividades agrícolas (tanto de sequeiro como de regadio). As culturas com mais expressão são o milho e o feijão nos terrenos de sequeiro e a cana sacarina e hortícolas nas áreas de regadio.

De acordo com o Plano de Desenvolvimento de Santo Antão, 1999, a repartição dos terrenos agrícolas de sequeiro e regadio no Concelho do Porto Novo totalizavam, respectivamente, 2 499 hectares (2 962 parcelas) e 153 hectares (906 parcelas), respectivamente. Constata-se que as parcelas de sequeiro são, em média, mais extensas do que as de regadio, sobretudo em Santo André, onde os problemas de aridez são mais intensos.

A agricultura e a pecuária continuam sendo actividades económicas mais importantes do concelho, não obstante o processo de desertificação a que este município se vem sujeitando desde há muitas décadas.

Pecuária
A pecuária constitui um sector importante para o município, tendo em conta as vastas terras e a grande resistência dos caprinos às condições agro-ecológicas do Município. O gado está praticamente em toda a parte, tanto no perímetro urbano como nas terras de sequeiro e de regadio. Nas áreas irrigadas prevalecem as criações domésticas no regime estabulado e a utilização dos subprodutos da produção agrícola para a alimentação animal, complementados pela aquisição de rações.

O aumento do efectivo é mais expressivo para os caprinos, bovinos e suínos, havendo, no entanto, uma pequena diminuição no que se refere à produção avícola por factores que se prendem com a disponibilização de factores de produção (rações, pintos do dia) e também pela falta de competitividade em relação ao frango importado. Em 2004 ano do último recenseamento agrícola o concelho possuía 13 414 caprinos correspondentes a 56% dos efectivos da ilha.

Por outro lado, a entrada em funcionamento do Centro Pecuário de Lajedos, proporcionou aos criadores o acesso a raças com melhor potencial genético como seja no domínio da suinicultura, caprinicultura e bovinicultura, mas também a reintrodução de espécies que tinham perdido a tradição no seio dos produtores, como seja a cunicultura.

Industria
Praticamente não existe indústria em Porto Novo, apenas perspectivas de exploração da pozolana que ainda existe no território municipal.

Comercio
O comércio oficializado enfrenta actualmente várias dificuldades, nomeadamente a baixa rotação de stocks, o fraco poder de compra da população, a concorrência do mercado paralelo, preços mais elevados que a média nacional, fraca disponibilidade financeira dos importadores, inexistência de controlo de qualidade e ineficiência no abastecimento de géneros alimentícios.

Com a modernização do porto espera-se maior dinamismo no sector do comércio com a descarga de mais contentores na cidade do Porto Novo.

Pesca
Como acontece em toda a ilha de Santo Antão o sector é dominado pela pesca tradicional. As comunidades piscatórias estão centradas tanto na cidade do Porto Novo como na baía do Monte Trigo, na costa ocidental da ilha. Apesar dos constrangimentos ligados ao sector com uma captura inferior às potencialidades, constitui uma importante fonte de proteínas animais na alimentação da população e local de trabalho para moradores de aldeias costeiras.

A Pesca é quase toda ela artesanal, com técnicas rudimentares, exceptuando alguns casos em que melhorias consideráveis foram introduzidas com a aquisição de barcos de pesca mais modernos e equipados com redes de cerco.

Turismo

Turismo

A ligação marítima tem favorecido sobretudo um turismo interno com base na ilha de São Vicente, mas com reduzido poder de compra para desencravar a economia terciária da ilha e mormente do concelho do Porto Novo.

A actividade turística decorre da qualidade do ambiente, da riqueza do património cultural, da gastronomia, da disponibilidade de áreas com baixa densidade populacional; desenvolvimento de grandes áreas de lazer, como sendo campismo balneários, campismo de montanha e outros.

A falta de recursos humanos, nomeadamente guias turísticos com formação, a falta de planos específicos para o sector, criação de serviços personalizados dentro das estruturas da câmara municipal, constituem factores que influenciam o mau comportamento dos recursos turísticos.
 
Atractivos turísticos naturais
A natureza vulcânica e a exuberância das formações geológicas da Ilha e do Concelho concorrem para a existência de uma oportunidade do desenvolvimento de um turismo científico na modalidade geológica. Do ponto de vista do aproveitamento turístico, deve haver uma estratégia que leve à elaboração e divulgação do Guia dos circuitos de turismo geológico da Ilha de Santo Antão e particular do Concelho de Porto Novo.

Maciço Tope de coroa
O maciço do Tope de Coroa, abarcando o vulcão extinto do mesmo nome cuja altitude máxima atinge os 1979 metros, inclui o Parque Natural do Tope de Coroa que detém uma grande variedade de taxa endémicos, de grande valor científico e rara beleza.

Topo da Coroa é o ponto mais elevado de Santo Antão e fica situado a 20 km a oeste de Porto Novo e a menos de 4 km a leste de Monte Trigo. A partir de 1300 m no lado este e 1650 m no lado oeste começa uma vegetação arbustiva bastante densa, composta na sua maioria por Euphorbia tuckeyana que na parte do planalto é acompanhado em grande número por espécies como Diplotaxis antoniensis e Lavandula coronopifolia.

O Parque Natural de Tope da Coroa foi criado em 2003, e tem sido afectado, ao longo dos anos, por sobre pastoreio.

 



Jazidas de Pozolana do Porto Novo
No Concelho do Porto Novo, assim como em toda a Ilha de Santo Antão dominam os basaltos, os fonolitos, os piroclastos e uma grande riqueza em pozolanas. Os afloramentos de pozolana constituíam uma única camada em toda a Ilha que devido a erosão restringiu a sua localização nas proximidades da Cidade do Porto Novo.

 

     



Vale da Ribeira das Patas
Situado a poucos quilómetros da Cidade do Porto Novo, constitui um ecossistema agrícola de grande valor económico e paisagístico, depositários de grande biodiversidade dos sistemas agro-pecuários. Trata-se de um vale muito importante de ponto vista agro-pecuário, onde a maioria da população residente dedica-se à agricultura e à criação de animais.

 

     



Vale de Alto Mira
Situado a largos quilómetros da Cidade do Porto Novo, o Vale de Alto Mira constitui também um importante biótopo a nível do Concelho e da Ilha de Santo Antão, com grandes potencialidades a nível da agricultura e da pecuária.

A população residente do Vale de Alto Mira é de 1003 habitantes. Hoje, o vale é alvo de uma intervenção em toda a bacia hidrográfica que compõe o mesmo. É um dos vales com uma tradição de cultivo de hortaliças que são exportadas para os mercados vizinho da Cidade de Porto Novo e Mindelo.

Pode-se encontrar ainda neste vale serviço de transporte de turistas (Hiaces) e local de alojamento. Como muitas das localidades do Município do Porto Novo, Alto Mira possui carências em infra-estruturas, nomeadamente no sector de saneamento, rede viária, entre outros.

 



Ribeira da Cruz
A uma distância superior à de Alto Mira - Porto Novo, fica situado o Vale da Ribeira da Cruz, muito conhecido pela sua beleza, riqueza paisagística, montanhas, e muitos outros atractivos.

A paisagem agrícola do Vale da Ribeira da Cruz constitui o principal recurso turístico passível de atrair muitos turistas. Este é um importante activo que poderá ser explorado no sentido de desenvolver um turismo de qualidade na zona. O Vale da Ribeira da Cruz deverá sem dúvida pertencer a um roteiro turístico do Concelho, ligando este aos principais pontos turísticos da Ilha de Santo Antão.

 



Vale de Martiene
Situada na Freguesia de Santo André a 40 quilómetros da Cidade do Porto Novo, a localidade de Martiene é uma zona rural com grande potencial agrícola, se comparado com os padrões do País. Possui uma população de cerca de 500 pessoas essencialmente jovens que se dedicam maioritariamente ao trabalho de lavra.

Com um belo panorama, Martiene é um vale essencialmente agrícola e com potencialidades turística. Assim para além de apresentar um clima ameno e convidativo para um passeio ao seu interior.

Todo o Vale de Martiene constitui um ecossistema agrícola de grande valor económico e paisagístico, depositário de grande biodiversidade do sistema agro-pecuário.

 

     



Tarrafal de Monte Trigo
A uma distância de perto de 30 km do Porto Novo, fica a comunidade de Tarrafal, aldeia agrícola e piscatória.

A diversidade paisagística, o património arquitectónico, a riqueza paisagística, o mar e as montanhas, constituem um leque variado de atracções turísticas passíveis de atrair o turismo familiar para a localidade de Tarrafal de Monte Trigo. O mar e a paisagem agrícola de Tarrafal de Monte Trigo constituem atractivos para qualquer mercado exigente onde a qualidade e tranquilidade é o posicionamento estratégico.

 



Circuitos de caminhos vicinais
Porto Novo possui uma rede de caminhos vicinais de grande beleza, dos quais destacamos como exemplo: Tarrafal de Monte Trigo – Planalto Norte – Chã de Morte (Ribeira das Patas) de grande espectacularidade.

Os pontos de maior interesse durante o seu percurso são a vista sobranceira ao lindo vale de Tarrafal de Monte Trigo, a vista desértica ao Planalto Norte e ao vulcão do Topo de Coroa, e já na zona próximo do Topo da Cruz a vista deslumbrante sobre os vales de Alto Mira e Ribeira das Patas (CMPN, 2014).

Recursos naturais costeiros
A Cidade Porto Novo possui quatros praias balneares que são muito frequentados pela população e visitantes, que são: Praia de Curraletes, Praia de Armazém, Praia de Caizinho e Praia de Topo. Sendo de destacar que a primeira dá nome ao Festival “Curraletes” que realizado todos os anos no final do mês de Agosto e inicio de mês Setembro assinalando assim, as datas comemorativas da criação do Município de Porto Novo.

Os principais pontos de pesca situam-se na cidade do Porto Novo, na Praia Formosa e em Tarrafal e Monte Trigo. A extensa linha de costa e respectiva faixa de terra que lhe é adjacente, vai desde a Praia de Curraletes até o Tarrafal apresentando poucas elevações; constitui um grande potencial futuro para o Concelho e para a Ilha podendo albergar os mais diversos equipamentos sociais, urbanísticos, portuários, industriais, comerciais e energéticos.

Ambiente

Ambiente

À semelhança das outras cidades do país, Porto Novo não possui uma cintura verde. No entanto, a Câmara Municipal tem-se esforçado na criação de praças e pracetas no interior da cidade e arborização das vias. Existe uma notável cobertura arbórea, sobretudo de acácia americana, Prosopis juliflora, ao longo das linhas de água. Esta cobertura vegetal poderá ser requalificada no âmbito da criação de um plano verde. A elaboração de um plano verde deverá ser inscrita no quadro dos planos detalhados para a cidade, na sequência dos planos de desenvolvimento urbano.

A topografia inclinada da cidade poderá criar riscos potenciais de inundação nas proximidades da foz das ribeiras em construções costeiras, ou como consequência de drenagem deficiente das águas pluviais. Há também a possibilidade de ocorrência de inundações durante as chuvas torrenciais e passagem de ciclones, mas a estrutura urbana do Porto Novo concentra as construções nas rechãs, deixando livre as linhas de água, como as ribeiras da Cruzinha e Desembarcadouro.

O principal risco ambiental do Porto Novo é a seca, à semelhança do que acontece por todo o Cabo Verde. Para evitar a repetição do que ocorreu no passado, o acompanhamento da seca é feito de forma sistémica por vários serviços centrais do Governo, abrangendo a Segurança Civil, a Agência de Segurança Alimentar, o Ministério da Agricultura e o Ministério de Saúde.

Um outro risco possível, com registo de casos históricos, são as pragas e as epidemias. As últimas pragas de grande envergadura registadas em Cabo Verde estão associadas à invasão do gafanhoto do deserto (Schistocerca gregaria) que constitui um perigo, sobretudo para agricultura se a invasão coincidir com a estação das chuvas. Como acontece em todo o país, a cidade é vulnerável a epidemias associadas à gestão das águas como a cólera, dengue, tifóide, etc.

Cultura

Cultura

A cultura é criada numa base de experiências e conteúdo adquirido com o tempo e acumulado e seleccionado pelo homem como forma de garantir a sua identidade. O Concelho do Porto Novo é caracterizado por uma grande riqueza cultural própria que se manifesta através da música, da dança, da arte, do teatro e das festas de romaria.

Estas atingem a sua expressão máxima na festa municipal de São João a 24 de Junho, que inclui uma grande diversidade de manifestações religiosas, culturais e desportivas. O caracter sincrético destas festividades incluiu uma combinação da religião com danças profanas.

Atractivos culturais materiais
O património cultural construído no Concelho de Porto não se esgota nas igrejas e nas casas da burguesia urbana ou rural, mas abrange, de igual modo, as tipologias mais “pobres”, realizadas com os recursos locais, como forma de resposta da sociedade às necessidades primárias de vida. Estão neste caso casas rurais e espaços de apoio a actividades domésticas e agrícolas.

As construções religiosas constituem muito do espólio construído no Concelho de Porto Novo, com a Igreja Matriz, várias capelas espalhadas pelas localidades e o seu cemitério. Pode-se destacar ainda os centros populacionais com casas de arquitectura tradicional, os trapiches, as infra-estruturas de apoio à pesca e a rede viária tradicional, como elementos do património edificado do concelho.

Cidade de Porto Novo
A Cidade do Porto Novo, um importante atractivo cultural construído, situa-se numa enseada limitada a sudoeste pela Ponta Tarrafinho e a Nordeste pelo cais acostável que foi situada na costa sul da ilha, a uma hora de ferry da cidade do Mindelo.

É uma cidade com potenciais atractivos turísticos, primeiro porque é a porta de entrada da Ilha de Santo Antão através do seu porto que foi recentemente ampliado e dotado de infra-estruturas terrestres de apoio às operações de desembarque de cargas e visitantes que queiram conhecer e disfrutar das maravilhas naturais e culturais da Ilha, e segundo porque a Cidade e as suas gentes constituem um importante polo turístico que deve ser desenvolvido e adaptado às reais necessidades do mercado turístico que se pretende desenvolver para Ilha de Santo Antão.

     
 

Atractivos culturais imateriais
A mais original e conhecida tradição é o Sonjon, que é celebrado no Concelho de Porto Novo, no mês de Junho, com principal destaque para os dias 23 e 24 do mesmo mês. Essa tradição é conhecida por ser uma das festividades que atrai grande número de pessoas às ilhas de Cabo Verde.

Sonjon
O Sonjon, como é conhecido em Santo Antão, tem uma história que é sabido pelos cristãos. Diz-se que o santo era muito velho, e certo dia vinha num barco que se malogrou no mar e tendo sobrevivido, foi encontrado numa praia.
 
Essa comemoração, no município de Porto Novo envolve a ida no dia 23 de Junho à localidade de Ribeira das Patas para resgatar o santo e devolvê-lo no dia 25. Alguns peregrinos fazem o percurso a pé no total de mais de 30 quilómetros de ida e volta, não se importando com o vento ou sol escaldante próprio da época, para acompanhar a peregrinação do Santo.

Conta-se que o cansaço que este trajecto pode originar nos peregrinos não é perceptível, dado a dança do kolá sanjon, o rufar dos tambores, e a convivência entre peregrinos ser tão emocionante, e que a pessoa se encontra quase em estado de êxtase.

 

     



Santo André
Celebra-se igualmente a 30 de Novembro, a festa de Santo André, na Ribeira da Cruz, que atrai muitos populares de todo o Concelho e de várias partes da Ilha de Santo Antão sob um mosaico de ricas tradições e cultura.


Principais festas do Concelho

- Festa de Romaria de São João Baptista - 24 de Junho - comemorado na Cidade do Porto Novo, durante vários dias com diversas actividades, religiosas, culturais, recreativas e desportivas;
- Festival de Curraletes – organizado na Praia de Curraletes no último fim-de-semana de Agosto ou primeiro fim-de-semana de Setembro – com actuações de diversos grupos musicais;
- Festa de Santo André – 30 de Novembro - comemorado em Ribeira da Cruz com diversas actividades religiosas, culturais, desportivas e recreativas;
- Nossa Senhora de Fátima – 13 de Maio - celebrado em Alto Mira com actividades religiosas e culturais;
- Páscoa – Comemorada em Tarrafal de Monte Trigo e Chã de Morto na Ribeira das Patas com actividades religiosas, culturais, desportivas e recreativas.
- O Festival de Curraletes é um dos principais eventos realizado no Município do Porto Novo, constituindo-se como um importante espaço cultural e económico. Os cartazes anuais contam com nomes de grandes músicos e bandas cabo-verdianas, bem como de artistas e bandas estrangeiras que fazem delirar o público todos os anos. O evento realiza-se todos no final do mês de Agosto e início do mês de Setembro de cada ano, tendo como lema as comemorações do dia do Município de Porto Novo.

Género

Género

No município do Porto Novo os homens constituem a maioria dos chefes dos agregados familiares. No ano 2010, mais de metade (60%) dos agregados eram chefiados por homens e apenas 40% por mulheres. Como acontece nos outros municípios da ilha residem no concelho de Porto Novo mais homens do que mulheres.
Não existem medidas discriminatórias entre homens e mulheres no acesso ao ensino, ao emprego ou a qualquer outra actividade social, política ou económica. No entanto nota-se que os homens têm mais facilidade no acesso ao solo urbano e à construção, facto que se prende a razões culturais.
No âmbito escolar a presença das meninas no sistema é proporcional à população residente, havendo sempre uma tendência para mais meninas no ensino básico e secundário do que rapazes. No comércio informal a participação feminina é maioritária.

ENDEREÇOSede
LOCALIZAÇÃOOnde nos encontrar?
https://anmcv.cv/wp-content/uploads/2020/10/ilhas.png
REDES SOCIAISLinks
NEWSLETTERSubscreva

    ENDEREÇOSede
    Edif. IFH Bloco C-R/C, Achada Santo António - Praia
    (+238) 262 36 34
    anmcv35@sapo.cv
    Delegação
    Avenida Baltazar Lopes da Silva, Mindelo – São Vicente
    (+238) 353 04 36
    LOCALIZAÇÃOOnde nos encontrar?
    https://anmcv.cv/wp-content/uploads/2020/10/ilhas.png
    REDES SOCIAISLinks
    NEWSLETTERSubscreva

      Visitas desde 15/02/2022: 16110

      Copyright © 2022 ANMCV. Design & Developed by Cloud Technology

      Copyright © 2022 ANMCV. Design & Developed by Cloud Technology